Personalidades

Toninho: a história de um escoteiro que cresceu e ainda luta pela Polícia Civil de RO

Antônio Manoel da Silva Filho, popularmente chamado de “Toninho”, nasceu em 22 de agosto de 1968, em Itabaiana, distrito de Mucurici, no Espírito Santo. Aos seis anos mudou-se para a cidade de Montanha, no mesmo Estado. Ele é filho de Antonio Manoel da Silva e Maximiana Maria de Jesus. No total, seus pais tiveram 14 filhos e Toninho é o caçula. Quando nasceu, seu pai tinha 51 anos e sua mãe 49 anos.

Menino cheio de sonhos, honesto e muito trabalhador, com apenas 12 anos de idade assumiu o sítio e o curral de leite, para ajudar na manutenção das despesas de casa. Como na vida nada é tão fácil, aos 14 anos Toninho perdeu pai e suas responsabilidades aumentaram.

Como seus irmãos quase todos já haviam saído de casa, passou a ser o homem da casa e, desta forma, intensificou os trabalhos no sítio: plantando mandioca, milho e verduras para consumo e o restante vendia na feira. Era um trabalho árduo, cansativo, mas que sempre lhe trazia contentamento, mesmo nos momentos difíceis, relata Toninho.

Aos 17 anos, recebeu um convite feito por sua irmã e seu cunhado, Sinval Batista – que era policial civil do quadro do ex-Território Federal de Rondônia -, para conhecer a cidade de Ji-Paraná, na região central de Rondônia. Ele foi orientado a terminar o ensino médio – à época segundo grau – e vir para Rondônia prestar o concurso para a Polícia Civil.

Em 1988, concluiu o ensino médio e como já havia dois irmãos e cinco irmãs que já moravam em Ji-Paraná, não foi difícil convencer sua mãe a vender o sítio e mudar-se para Rondônia, devido sua postura íntegra, coragem e disposição, além de habilidades que conquistou no período em que residiu em Montanha (ES), onde foi escoteiro dos 12 aos 20 anos de idade, aprendendo muito com aquela instituição.

O ano era 1989 o Brasil vivia sob a imensa expectativa de ter sua primeira eleição direta, após o regime militar, e Rondônia crescia economicamente com a perspectiva do setor agrícola ser um dos maiores da região, dado ao número de famílias de produtores do Sul e Sudeste que migraram para o interior do Estado. Em janeiro de 1989 veio para Rondônia e, com a ajuda de um irmão, adquiriu uma lanchonete perto da Rodoviária de Ji-Paraná.

No mesmo ano passou no concurso da Polícia Civil para o cargo de Datiloscopista, mas o sonho era ser Agente de Polícia, então tirou carteira de habilitação e em 1990 passou no concurso para Agente de Polícia. Após os três meses do término do curso a qual a academia foi realizada já no ano de 1991, a tão sonhada contratação não aconteceu, vindo a ser contratado somente no dia 15 de julho de 1992.

Inicialmente, foi lotado em Alvorada do Oeste. No dia 24 de julho daquele mesmo ano foi transferido para a cidade de Presidente Médici, onde trabalha até hoje. Em 1995, casou-se com a Escrivã de Polícia Odinete Moraes do Nascimento Silva e tiveram dois filhos, Alysson Vinicius, o qual é Policial Militar no município de Nova Canaã do Norte, Mato Grosso, e Alanna, a qual é Farmacêutica, trabalha e reside na cidade de Sorriso, também no Estado do Mato Grosso.

Sempre buscando progredir, em 2001 foi cursar Direito na ULBRA de Ji-Paraná, concluindo os estudos no mês de julho de 2006. Em agosto do mesmo ano passou no Exame de Ordem na OAB, pela qual recebeu várias propostas para sair da Polícia Civil e advogar, mas o amor à profissão “falou mais alto” e decidiu por permanecer na instituição.

Durante esses quase 29 anos trabalhando em Presidente Médici, ocupou a função de Chefe do Sevic por 20 anos, ou seja, trabalhou com todos os delegados que por ali passaram até o mês de maio de 2018. Após esse período, em decorrência de enfermidade enfrentada por sua esposa, pelo qual, dependia do seu apoio, teve que se exonerar da chefia do Sevic, indo exercer suas funções no plantão do Comissariado da Delegacia de Presidente Médici. Seguindo trabalhando sempre com a mesma dedicação e aguardando a proximidade de sua aposentadoria.

Por todas suas histórias, por sua determinação, seu caráter, sua conduta passa, a partir desta data integrar a seleta galeria de PERSONALIDADES DA POLÍCIA CIVIL, coluna publicada pelo site do SINPOL que faz uma singela homenagem a todos os Guerreiros e Guerreiras que ajudaram a fazer da Polícia Civil de Rondônia um exemplo para todo o país.

 

Tags
Mostrar mais

Matérias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close