Personalidades

Sergio Artur: um pioneiro que ajudou a desenvolver a Polícia Civil de Rondônia

Sergio Artur Ignácio, nasceu em 26 de novembro de 1959 em Canoas, no Rio Grande do Sul.  Ele é filho de Crispim Antônio Ignácio e Gladis Aguiar Ignácio. Aos quatro anos de idade pelo fato de seu pai ser militar da Aeronáutica, mudou-se de sua cidade para Recife (PE) no ano de 1964, em plena revolução Militar. Tem cinco irmãos, e lá viveu durante 12 anos, tendo passado toda a sua infância e adolescência naquela cidade. Estudou em várias escolas entre elas o Colégio Militar do Recife.

Após esse período, seu pai foi transferido para o Rio de Janeiro, em 1976. Continuou seus estudos no também Colégio Militar do Rio de Janeiro. Nesta cidade, após concluir o segundo grau, começou a cursar o Curso de Engenharia Elétrica na extinta Universidade Gama Filho, porém, não concluído o curso devido à mudança de seus familiares de volta ao Rio Grande do Sul para sua cidade Natal no ano de 1982.

Após um ano que estava lá, seu irmão e o seu cunhado, ambos oficias do Exercito que trabalhavam respectivamente na 17º Brigada e no 5º BEC. Foi convidado por seu cunhado em férias no Rio Grande do Sul, a conhecer Rondônia. Estado próspero, em crescimento, cheio de oportunidades de trabalho. Tendo aceitado o convite, chegou nestas terras de Rondon no dia 4 de fevereiro de 1984, desembarcando no antigo Aeroporto Governador Jorge Teixeira.

Sergio ficou morando na casa de seu cunhado nas casas de oficias do BEC, na época o Governador do Estado era o ilustre e saudoso Governador Jorge Teixeira de Oliveira.

Conseguiu seu primeiro emprego dois dias após sua chegada, trabalhando no extinto Banco Bamerindus. Esse emprego não durou muito tempo, pois havia se inscrito para o primeiro Concurso de Agentes da Policia Civil do estado. Ao passar por todos os testes, foi aprovado e matriculado na Academia de Policia Civil. Junto com ele passaram 43 alunos, que fizeram um curso de três meses.

No dia 15 agosto de 1984 sua turma tomou posse. Sua primeira lotação foi a Ariquemes, à época Rondônia tinha 13 municípios somente, era o auge da imigração, com milhares de pessoas vindo colonizar esta fronteira ocidental, pessoas trabalhadoras e pessoas de má índole se misturavam, por sorte as que trabalhavam eram a grande maioria, mais os índices de homicídios na época eram elevados com pistoleiros querendo fazer morada neste rincão, garimpos, desmatamentos, faltava tudo apesar dos esforços governamentais, estradas, alimentos, água potável, energia era escassa, muitas vezes era 12 horas com energia e 24 sem energia.

Já na Delegacia de Ariquemes desempenhava seu trabalho em uma circunscrição que cobria os atuais municípios de Ariquemes, Campo Novo, Machadinho, Monte Negro, Rio Crespo, Alto Paraíso, Buritis, Cacaulândia, Cujubim e Itapuã do Oeste. Naquela região trabalhou por três anos e a pedido foi trabalhar no município de Colorado do Oeste onde casou com Clarice Coxinski Ignácio  e tiveram seu primeiro filho, Aécio Danilo Coxinski Ignácio, trabalhou por três anos e foi chefe do SEVIC pelo mesmo tempo, lá fez diversos trabalhos com as mesmas dificuldades que ainda aconteciam por causa da imigração desenfreada, combate ao narcotráfico devido a proximidade com a fronteira com a Bolívia, apreensão de veículos roubados ou furtados do Brasil, esteve em território Boliviano por duas vezes atrás de veículos roubados ou furtados no Brasil.

Naquela região também combateu o trabalho escravo nas grandes fazendas prendendo agenciadores de trabalhadores, os chamados GATOS, chegou a trabalhar sozinho já que não tinha efetivo suficiente. Na época Cabixi pertencia a Colorado do Oeste, mesmo tendo a figura do subdelegado, hoje não existe mais nessa figura. Pela ausência de delegado na cidade de Cerejeiras muitas vezes a Delegacia de Colorado do Oeste prestava auxílio aos colegas de lá.

No ano de 1990, a pedido, solicitou sua transferência para o município de Vilhena, onde nasceu seu filho Caio Antônio Coxinski Ignácio, trabalhou no SEVIC por três anos, onde lá também participou de missões com as Delegacias dos municípios de Cacoal e Pimenta Bueno, em ocorrências de sequestros, roubos a bancos e etc. por se tratar de um município divisa com o Estado do Mato Grosso por diversas vezes foi a esse estado atrás de criminosos que iam se refugiar lá.

Após muito trabalho a pedido, requereu sua transferência para a cidade de Jaru onde trabalhou 28 anos, sendo 22 anos chefe do SEVIC, trabalhou em todos os casos de repercussão, com alto índice de soluções, com uma equipe de primeira linha. Sendo o caso que mais mexeu com seu brio foi o assassinato do seu Chefe e Delgado, Dr. Jose Carlos Dias, foram 45 dias de trabalho ininterruptos junto com policiais de quase todos os municípios, além da Policia Militar, MP e Justiça. Foram dias difíceis que culminaram com a morte dos dois principais autores do homicídio e prisão de cerca de dez pessoas envolvidas no arrebatamento dos presos e incêndio criminoso à Delegacia de Jaru, nos episódios da tentativa de prisão dos criminosos do homicídio do Dr. Jose Carlos Dias, o APC Sérgio esteve nos dois, e cumpriu com êxito sua missão. Foram anos de trabalho desenvolvido na Delegacia de Jaru e muitas histórias vitoriosas a contar. Muitos funcionários passaram pela carreira, relata.

Trabalhou por todo nosso estado, participando de missões com a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ministério Público, Justiça Estadual, Sefin e etc. Trabalhou junto com a Polícia Militar na desocupação de terras invadidas, translados de presos para outros estados e prisões de presos em outros estados foragidos de crimes em Rondônia nos 36 anos de carreiras são muitas historias de lutas e vitórias, sempre mantendo a honra e honestidade, camaradagem e amizades com os colegas e a população em geral, contribuindo com a melhora do trabalho operacional e conforto dos policiais onde trabalhou.

Sergio Artur Ignácio, por sua competência e zelo com a coisa pública, a partir desta data, passar a fazer parte de um seleto grupo de Guerreiros e Guerreiras que formam a galeria de PERSONALIDADES DA POLÍCIA CIVIL, coluna publicada pelo site do SINPOL-RO, como uma singela homenagem aos homens e mulheres que ajudaram a formatar a grandiosa POLÍCIA CIVIL DE RONDÔNIA.

Tags
Mostrar mais

Matérias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close