Notícias Gerais

75% dizem que a violência contra a mulher aumentou no Brasil, mostra PoderData

Pesquisa PoderData divulgada nesta 2ª feira (8.mar.2021), Dia Internacional da Mulher, mostra que 75% dos brasileiros afirmam que a violência contra a mulher aumentou nos últimos tempos. Outros 17% dizem que “manteve-se igual”, e 4% avaliam que diminuiu.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes. Os dados foram coletados de 1º a 3 de março, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 509 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

PANDEMIA X VIOLÊNCIA

Levantamento feito pela Rede de Observatórios da Segurança, lançado na última 5ª feira (4.mar), revela aumento de violência contra a mulher durante a pandemia.

Foram registrados, em média, 5 casos por dia nos Estados da Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, em 2020. Ao todo, o estudo monitorou 1.823 casos, entre eles, 449 são feminicídios (homicídio praticado contra a mulher em decorrência do fato de ela ser mulher). Leia a íntegra (3.1 MB).

O levantamento contabilizou em São Paulo 200 casos de feminicídio e de violência contra a mulher no ano passado. No Rio, o boletim mostra 50 casos. Na Bahia, Ceará e Pernambuco foram 70, 47 e 82, respectivamente.

Tocador de vídeo

00:00
00:15

HIGHLIGHTS DEMOGRÁFICOS

O estudo do PoderData destacou, também, os recortes para as respostas à pergunta sobre a percepção dos brasileiros a respeito da violência contra a mulher.

Dos grupos que mais acham que houve aumento de violência contra a mulher, destacam-se:

  • mulheres (83%);
  • idosos de 60 anos ou + (81%);
  • os que estudaram até o ensino fundamental (77%);
  • moradores da região Nordeste (81%);
  • os que estão desempregados ou não têm renda fixa (86%).

Dos que disseram que houve redução da violência, os principais foram:

  • homens (6%);
  • adultos de 25 a 44 anos (7%);
  • moradores da região Norte (10%);
  • os que recebem mais de 10 salários mínimos (12%).

AVALIAÇÃO DE BOLSONARO X VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

PoderData cruzou as opiniões de quem acha que aumentou a violência contra a mulher com a avaliação do presidente Jair Bolsonaro.

Entre os que avaliam negativamente o presidente, 82% dizem que a violência contra a mulher aumentou. Já entre aqueles que avaliam o chefe do Executivo como “ótimo” ou “bom“, o percentual é de 64%. Em resumo, a percepção sobre o aumento da violência contra mulheres é menor entre bolsonaristas, como mostra o quadro a seguir:

PESQUISAS MAIS FREQUENTES

PoderData é a única empresa de pesquisas no Brasil que vai a campo a cada 15 dias. Tem coletado um minucioso acervo de dados sobre como o brasileiro está reagindo à pandemia de coronavírus desde abril de 2020.

Num ambiente em que a política vive em tempo real por causa da força da internet e das redes sociais, a conjuntura muda com muita velocidade. No passado, na era analógica, já era recomendado fazer pesquisas com frequência para analisar a aprovação ou desaprovação de algum governo. Agora, no século 21, passou a ser vital a repetição regular de estudos de opinião.

PODERDATA

Leia mais sobre a pesquisa PoderData:

Informações deste post foram publicadas antes pelo Drive, com exclusividade. A newsletter é produzida para assinantes pela equipe de jornalistas do Poder360. Conheça mais o Drive aqui e saiba como receber com antecedência todas as principais informações do poder e da política.

Tags
Mostrar mais

Matérias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close