Jurídico

Para Bolsonaro, TSE tem voto ‘político’ de alguns ministros

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 5ª feira (2.jul.2020) que está confiante de que será absolvido dos 8 pedidos de cassação contra a chapa formada por ele e o vice-presidente, Hamilton Mourão, no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Entre as acusações que os mandatários sofrem está o disparo em massa irregular de mensagens no WhatsApp durante a campanha eleitoral. Também respondem por suposta invasão da página do grupo virtual Mulheres Unidas contra Bolsonaro, que reunia mais de 2,7 milhões de pessoas.

Em sua tradicional live semanal, o chefe do Executivo ponderou que a Justiça Eleitoral é obrigada a discutir as denúncias contra ele. Mas disse que há 1 ou outro magistrado que dá “voto político” porque “é 1 ser humano“.

“O TSE é obrigado a discutir esse assunto e votar. Lógico, a gente sempre se preocupa porque é processo contra a gente. É 1 tribunal eleitoral e, por vezes, algum ou outro ministro quer dar 1 voto político. Nós sabemos que não pode ser assim, mas é 1 ser humano. Acredito na absolvição, no arquivamento de todos esses processos no TSE, até pela qualidade dos ministros que estão lá.” 

O elenco de autoridades na transmissão foi grande: estiveram presentes o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o secretário de Pesca, Jorge Seif, e o presidente da Embratur (Empresa Brasileiro de Turismo), Gilson Machado Neto.

Bolsonaro aproveitou a presença do presidente da Caixa para comentar a baixa nos juros sobre do cheque especial. “Acabamos de reduzir de novo para 1,8% ao mês […]. Nunca vi nada parecido.

“Esperava que viesse de 1 banco privado e veio de 1 banco público”, completou Bolsonaro. O presidente ressaltou que não entende nada de economia e que pretende “continuar não entendendo”.

Assista abaixo à íntegra (1h) da live do presidente desta 5ª feira (2.jul):

OUTROS ASSUNTOS

‘Ciclone bomba’

Bolsonaro avisou que vai sobrevoar regiões de Santa Catarina no próximo sábado (4.jul.2020). O Estado foi atingido por 1 “ciclone-bomba”. Na live, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, disse que telefonou para os governadores do Rio Grande do Sul, do Paraná e de Santa Catarina, colocando o governo à disposição para ajudar na recuperação das áreas atingidas.

“Enviamos o nosso secretario de Defesa Civil e ele disse que tem que ter uma equipe para Santa Catarina, que foi o estado mais afetado, com mais de 30 municípios”, informou Marinho.

Auxílio emergencial 

Bolsonaro sinalizou que a União não aguenta bancar o benefício por mais muito tempo.

“Assinei o decreto essa semana. Mais duas parcelas que vão cobrir julho e agosto. Não podemos continuar por muito tempo, não é dinheiro que está sobrando, estamos nos endividando com isso. A gente apela aos prefeitos e governadores, cada vez mais, com responsabilidade, abrir o comércio e botar a economia para funcionar. Sabemos que é pouco, mas dá para fazer compra para necessidades básicas”.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, aproveitou para explicar que quem teve validado o pagamento das 3 parcelas do coronavoucher não precisa se preocupar, pois já está automaticamente cadastrado para as próximas etapas.

“Todas as pessoas que tiveram aprovado os 3 pagamentos não precisam se cadastrar. A validade é automática. O aplicativo tem 108 milhões de pessoas, está mais aprimorado, não temos mais filas nas agências e vamos anunciar o calendário muito em breve”.

Tags
Mostrar mais

Matérias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close